Quarta-feira, 14 de Junho de 2006
[26] Um dia desses...

Gostar dela foi vertiginoso: como não ser atraído por aqueles e-mails arejados, a transbordarem de alegria e poesia, sempre adequados ao tempo e à circunstância!? Como impedir-me de sonhar com aquela escrita inebriante, de pele e perfume de pêssego?

Quem escreve assim só pode ser linda de morrer! Mais, é sensual! Além disso é inteligente e meiga, muito meiguinha.

 

Já não consigo fazer as vezes do correspondente lacónico e frio; sempre com uma palavra fraterna, atenta e disponível. Já não consigo fazer de amigo assexuado e fingir que não tenho uma vontade enorme de lhe tocar…

 

Porém, não quero sentir este desejo epidérmico, fujo de me apaixonar e não me quero sentir a amar. Quero que isto faleça e nunca se incendeie. Não quero sofrer e tudo isto rouba-me saúde. Mas quero-a tanto, tanto! Não a amo, mas também não consigo esquecê-la!

 

Nos últimos tempos tudo isto me causa um sofrimento inútil. E como não suporto mais esta calma de mar morto, vou propor-lhe que acabemos com este acantonamento electrónico e que nos encontremos, pois nunca a vi.

 

Um dia desses fá-lo-ei.

 



publicado por polosul às 23:21
link do post | nortadas
|

16 comentários:
De apouca a 15 de Junho de 2006 às 15:05
Consegues sempre tocar no centro.
Aqui, compreendo perfeitamente como lá chegas....

Essa febre de tocar...


De DIV de divertida a 15 de Junho de 2006 às 17:19
E não tens medo de tanto querer?
E não tens medo de sofrer?
E não tens medo das tuas emoções?


De polosul a 16 de Junho de 2006 às 20:46
O texto é justamente sobre um tipo (ou mulher) que anda a ganhar coragem para se decidir a estabelecer um encontro do 3º grau. E claro que ele(a) tem receios...


De apouca a 15 de Junho de 2006 às 18:35
Não estás apaixonadao. Certo. Compreendo isso. Mas...

Corres para o computador e abres o email, vezes e vezes sem conta, a ver se a vais encontrar. Convences-te a ti mesmo que ainda é cedo, que não vai estar lá nada, mas........ é compulsivo, apesar da total falta de lógica!

E, tentas racionalizar, tornar compreensivel essa ilogicidade, só que....

É isso que acontece, não é?

É por isso que, esta, eu entendo.

(E está escrito na primeira pessoa....)


De polosul a 16 de Junho de 2006 às 20:53
Hmm, essa é seguramente uma das consequências: ansiedade e irracionalidade, em doses compulsivas. Qualquer um de nós passa ou passou por essa experiência, no nosso caso enriquecida com o Sr. Carteiro.

E agora vou visitar o teu cantinho :-)


De apouca a 17 de Junho de 2006 às 00:31
Com o Sr. Carteiro?
Mas tu, não te deste bem com ele!
Não recebeste nenhum Bring!
rsrrs


De polosul a 17 de Junho de 2006 às 16:26
Inscrevi-me em dois BR e obtive duas respostas simpáticas a dizerem que não e tal e mais não sei quê e a minha mãe e a minha irmã... e o cão e o gato, etc. :-)


De apouca a 15 de Junho de 2006 às 18:39
Na nortada que antecede, enganei-me na URL.. desculpa a ti e ao "OBJECTOS" que não sei como corrigir....


De apouca a 20 de Junho de 2006 às 19:37
Não imaginas a quantidade de vezes que aqui passo.....


De nninoca a 26 de Junho de 2006 às 20:18
E....já te decidiste? ;-)


De polosul a 26 de Junho de 2006 às 22:41
Ainda não ;-)


De Yuki a 28 de Agosto de 2006 às 14:17
"What light is light, if Silvia be not seen?
What joy is joy, if Silvia be not by?
Unless it be to think that she is by
And feed upon the shadow of perfection
Except I be by Silvia in the night,
There is no music in the nightingale;
Unless I look on Silvia in the day,
There is no day for me to look upon;
She is my essence (...)"

Decide-te!


De polosul a 1 de Setembro de 2006 às 02:14
Fiquei sem palavras depois desse comentário...
Porque me falta tudo, inclusive o engenho.


De Yuki a 1 de Setembro de 2006 às 14:33
Com tempo e paciência, as folhas da Amoreira transformam-se em vestidos de seda...
[ Provérbio Chinês ]


De polosul a 22 de Setembro de 2006 às 00:49
O que é que isso significa?

Eu apanhava bichos da seda nas amoreiras, que guardava e alimentava numa caixa de sapatos e a metamorfose impressionava-me.


De Yuki a 25 de Setembro de 2006 às 12:04
Significa que com tempo e paciência, tudo podemos alcançar, tudo podemos melhorar.
Tempo e paciência faz-nos crescer, faz-nos conhecer a nós próprios; dá-nos possibilidade de aspirar à perfeição e à felicidade; de darmos valor e nos maravilharmos com o mais simples da vida, porque isso nos custou.

Tempo e paciência para que ganhes tudo que perdeste, inclusivé o engenho.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

(113) ser incompleto

[112] a raça humana

[111] viva México

[110] por vingança?

[109] o que é que eu fiz

[108] o pai

[107] memórias & enganos

[106] lembrei-me do Tejo

[105] Irvin D. Yalom

[104] T. S. Eliot

[103] o garanhão de Santa...

[102] o que farão as mosc...

[101] quem tem pressa não...

[100] a questão Finkler, ...

[99] 1Q84, Murakami

[98] Machu Picchu, Peru, ...

[97] Salkantay Trek, Peru...

[96] Uma vida pela metade...

[95] Laos, dezembro de 20...

[94] Cambodja, novembro d...

arquivos

Maio 2015

Março 2014

Fevereiro 2014

Outubro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Agosto 2012

Julho 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Setembro 2009

Agosto 2009

Maio 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds